A Decisão do Coração

No meu coração, a decisão já estava tomada há muito tempo.

Mas a minha cabeça punha-se a fazer contas à vida, a somar e a subtrair, a contar as despesas e as responsabilidades, até que o dia de mudar o rumo da minha vida, finalmente chegou.

Nem todos perceberam, quase todos me olharam de lado e me criticaram, afinal de contas, a crise estava aí, e eu estava efetiva numa grande empresa a cinco minutos de casa, a ganhar bem, com boas perspectivas de ali continuar por tempo indeterminado e… completamente infeliz, em todos os campos da minha vida.

Com dinheiro, muito álcool para me anestesiar e sem amor, sem poder criar nada que não fossem novos clientes, mais dinheiro para a empresa e menos felicidade para mim.

Não vou dizer que foi fácil, porque estaria a mentir. Não foi fácil dar o passo há cinco anos atrás, nem seria mais fácil fazê-lo hoje, tomar a decisão de me despedir, partir para um futuro desconhecido sem rede de segurança e ainda hoje não é fácil viver sem uma árvore das patacas por perto.

Ter de começar e terminar projetos, sem nunca desistir.

Mas é bem mais fácil acordar feliz todos os dias, caminhar mais leve, com menos peso de coisas materiais, ter menos amigos, mas serem verdadeiros, e fazer uma coisa que adoro todos os dias.

E ter encontrado o amor num lugar que sempre quis conhecer e onde nunca o esperei encontrar. Isso sim, é fácil.

Por estas e muitas outras razões, escolho continuar todos os dias a reinventar-me e a percorrer um caminho com mais curvas, sempre movida a paixão, que é o melhor combustível de todos!

Deixe uma resposta